Menu






Preqaria apresenta: "Tribunal Quarto de Zona"
31Jul2008 00:00:00


TRIBUNAL- QUARTO DE ZONA

Uma festa de Cabaré onde homens solitários se divertem com prostitutas solitárias. Ou um ambiente fantástico e plastificado, onde as pessoas dançam alegremente para "iludir o tédio dos dias vazios e sempre iguais". O cabaré é a metáfora imediata do prazer. Dançar e se divertir é uma forma angustiada de combater o vazio da vida e o terror da morte.
 
Realização: Preqaria Cia de Teatro
Direção e Dramaturgia: João Valadares
Elenco: Gabriela Domínguez, Guilherme Thiago, João Valadares, Kenya Goulart, Luciene Bernades,  Milena Trindade, Raysner D'Paula e Ronaldo Queiroz.
 
TRIBUNAL- QUARTO DE ZONA

Dias: 7, 8, 9 e 10 de agosto

Local: Galpão Cine Horto

Horário: Quinta à Sábado às 21h e Domingo às 19h

Preços: R$20,00 inteira e R$10,00 meia

Classificação: 18 anos

 

Encaminhe para seus amigos e ajude a divulgar o espetáculo!





--
Visite os endereços:
www.lecypereira.blogspot.com
www.paopoesia.blogspot.com
www.gostodeler.com.br


Ler mais | Comentários (0) | Visualizações (285)

Arquiteto de filosofias
30Jul2008 00:00:00


Eis que um suposto amigo me perguntou, um dia desses, se eu me transformaria num produtor de textos de colunas de sites que cedem espaço para que o suposto autor possa se exercitar e se sentir um escritor. Aquele negócio de auto estima, injeção para o ego, coisa do tipo: eu participo de um site muito lido, etç.


Não sei se lhe respondi na ocasião, mas não me passava e nem me passa pela cabeça ser um "colunista" que só recebe em troca a divulgação, o que não é pouco em tempos de Internet onde a visibilidade no mundo Web é tão concorrida quanto na vida fora dela.


Digamos que você seja um escritor embrionário, ou uma pessoa para a qual os spots de luz ainda não brilharam como é o caso da infinitesimal maioria das pessoas que escrevem e colocam textos na Internet. Se seu objetivo é "bombar" no mundo digital, é bom se preparar para uma longa jornada sem muita certeza de chegada. A menos que você seja parente do dono de uma grande editora que não poupará esforços no Marketing para tornar seu livro um best-seller, até como forma de não lograr prejuízo ao investir no primeiro livro de um parente. Outra hipótese: você tem uma linda conta bancária e pode bancar seus livros, pagar diárias de assessores jornalísticos, boas amizades nos jornais de grande circulação, um eficiente sistema de distribuição nacional e internacional, sua família adora seu ofício e todos apostam alto em seu sucesso e colocam toda infra estrutura familiar em seu apoio. Pode ser que você seja um típico autor que só pode publicar usando Leis de Incentivo à Cultura, mas não se engane. Sabe quem terá que cuidar da completa distribuição dos exemplares e da prestação de contas obrigatória, além de concorrer com outras centenas de projetos de livros maravilhosos e igualmente encantadores? VOCÊ. A menos que você pague pelos serviços de uma empresa especializada em captação de recursos e burocracias afins. Enfim, tudo conspira a e em seu favor. Por falar em conspiração, outra hipótese é você ser um predestinado e praticante das máximas de Paulo Coelho (vale lembrar que Paulo Coelho nasceu em berço esplêndido) como "viva sua lenda pessoal". É bom lembrar que , a exemplo dos concursos públicos, todos são seus concorrentes e querem ter o mesmo êxito literário ao qual você ambiciona (não sei se essa é uma palavra "pesada" demais para seus propósitos).


Agora, se você está pouco preocupado se o mundo vai acabar a seguir, se seu livro será publicado por um parente piedoso após a sua morte enterro e/ou cremação, se sua família acha que você é um irresponsável (essa dramaticidade é toda por minha conta) continue escrevendo e publicando na Internet. Até o momento, este é o único lugar que eu conheço que não faz restrições para publicar o que você quer para adultos ou para crianças, ainda que quem ganhe algum dinheiro seja quem lhe cede o espaço. A única pessoa que sabe o que quer ou não quer com aquilo que escreve é o próprio autor.


Se alguém lhe oferece um espaço para publicar textos de sua autoria é bom pensar duas vezes antes de recusar a "oferta" . Caso você recuse há várias hipóteses para a sua decisão: a) você detesta publicar as "coisas" que escreve; b) você não tem coragem de publicar o que escreve; c)você é orgulhoso ou orgulhosa demais para aceitar ofertas de qualquer espelunca de site; d) quem lhe convidou acha que o você escreve não vale um centavo e você acha que vale muito; e)você é um escritor famoso e celebrado e não tem tempo para perder com essas bobagens e nem para responder a cartas ou e-mails de fãs chatos, afinal, você é uma estrela ou um astro ou qualquer um outro corpo celestial. Há tantas outras possibilidades que eu poderia escrever um livro e sair procurando uma editora interessada em publicar um livro que elenca motivos que um suposto escritor tem para não publicar quando recebe um convite para fazê-lo.


Eu falava da pergunta do suposto amigo. Pois bem ou muito que bem, por causa dela, a pergunta, eu escrevi esse texto e tratei de publicá-lo.


Lecy Pereira Sousa


Arquiteto de filosofias


------------------------------------------------------




Ler mais | Comentários (0) | Visualizações (280)

Pão e Poesia chega às escolas
25Jul2008 21:10:00

 

 

Pão e Poesia chega às escolas
25Jul2008 00:00:00
 
 
A INTENÇÃO de Divanni com o projeto é fazer da poesia um meio de inclusão social, com exposições itinerantes
INCLUSÃO
Pão e Poesia chega às escolas

Depois de invadir a mesa de café dos mineiros, o projeto incentiva as crianças à leitura

Entre um pãozinho e outro, um verso da poesia de André Carneiro dá um novo sabor ao café da manhã. No colégio, após uma complicada aula de química, nada melhor do que ler um poema de António Melenas e recuperar os ânimos para assistir a uma aula de matemática. Depois de produzir 300 mil embalagens de pão, que estão sendo distribuídas gratuitamente para as padarias da Região Metropolitana de Belo Horizonte, o projeto "Pão e Poesia - em qualquer esquina, em qualquer padaria" chega às escolas públicas da capital e região metropolitana. Dando sequência às suas diversas ações poéticas, o compositor e músico que se diz apaixonado pelas coisas simples da vida. Diovvani Mendonça leva o projeto Pão e Poesia às escolas municipais e estaduais de Belo Horizonte e região, com o intuito de contribuir para criar o hábito de leitura nas crianças. Além disso, Diovanni considera que a poesia é um importante formador social que deve chegar, principalmente, àqueles que não tem oportunidade de acesso. "Creio que a poesia tem que sair das estantes e assaltar o instante das pessoas. A poesia tem que ser pop e não apenas feita para os iniciados que geralmente fazem poemas uns para os outros e formam grupos fechados como se fossem seitas", explica o idealizador do projeto.

EXPOSIÇÃO O Projeto Pão e Poesia na Escola, que teve início no mês de junho, é uma exposição itinerante que permanece por um mês em cada escola. As instituições estudantis visitadas vão receber mais de 100 poemas, expostos em 26 lâminas, de diversos poetas reconhecidos como Affonso Romano de Sant'Anna e Fabricio Carpinejar e outros tantos anônimos convidados e selecionados. Diovvani Mendonça afirma que a intenção do projeto é atender o máximo de escolas até o final do ano, quando pretende fazer um nova edição do Pão e Poesia. "Na primeira edição do projeto não contamos com o patrocínio de nenhuma empresa ou lei de incentivo à cultura. Todas as lâminas e embalagens foram pagas com dinheiro do meu próprio bolso, apoio de amigos e pessoas que viam o projeto com bons olhos. Espero que nesta segunda edição possamos contar com ajuda de empresários e até mesmo do governo para nos ajudar nesse importante projeto que tem contribuído para a formação de cidadãos e promovido a inclusão social", diz. O poeta ainda ressalta que uma das coisas que o entristece é ver que um projeto de tamanho potencial não consegue tomar maiores proporções devido a falta de apoio. "O Pão e Poesia, um projeto tão importante para Contagem, que nasceu e se desenvolveu aqui só consegue o reconhecimento que merece fora de sua cidade. Precisamos mudar isso. O município carece de atividades culturais."

 

Duas escolas já foram visitadas

Até agora, o projeto já visitou duas escolas: a Escola Estadual São Tomaz de Aquino, em Esmeraldas, e atualmente se encontra na Escola Municipal Giovanini Chiodi, no bairro Ipê Amarelo, em Nova Contagem. "Todos nós, de certa forma, somos educadores e responsáveis pela formação do ser humano", afirma Lecy Pereira Sousa, o bibliotecário da Escola Giovanini Chiodi responsável pela exposição na instituição. Ele afirma que o Projeto Pão e Poesia pode influenciar atitudes positivas das crianças, pois, para ele qualquer performance cultural, principalmente quando é uma coisa inovadora como este projeto, mexe com o imaginário de crianças e adolescentes. "Se os jovens avaliam como uma coisa boa, tentam imitar de algum jeito. Muitas deles já vieram até mim querendo saber como o projeto foi feito dizendo que estavam interessados em fazer algo parecido. Além disso os professores estão muito empolgados com o projeto", comemora o bibliotecário e também um dos fundadores da Academia Contagense de Letras. A próxima escola a ser beneficiada com o projeto, em agosto, é a Escola Municipal Eurica Alves Morais, que fica no bairro Novo Retiro.

Escolas interessadas em receber o projeto na instituição ou empresários interessados em patrocinar a próxima edição do Pão e Poesia podem entrar em contato com o Diovvani Mendonça pelo telefone 9776-7841. Para conhecer mais sobre o projeto acesse: www.paopoesia.blogspot.com / www.arvoredospoemas.blogspot.com/ www.diovmendonca.blogspot.com



--
Visite os endereços:
www.lecypereira.blogspot.com
www.paopoesia.blogspot.com
www.gostodeler.com.br

Ler mais | Comentários (0) | Visualizações (322)

Nômade
21Jul2008 21:40:00

 

Sinto que nunca fui feliz...

 

 

                                     Ao escritor Lecy Pereira Sousa

 

 

Ler mais | Comentários (0) | Visualizações (335)


1 a 5 de 21 Primeiro | Anterior | Seguinte | Último |