Menu






Érika Machado no Stereoteca
08Out2008 00:00:00
Shows da cantora mineira Érika Machado

Érika Machado também participa do Projeto Pão e Poesia e esteve no 1º Viva Poesia Poesia Viva de Contagem que pode ser conferido clicando aqui











Ler mais | Comentários (0) | Visualizações (2460)

08Out2008 00:00:00
Shows da cantora mineira Érika Machado


A cantora èrika MAchado também participa do Projeto Pão e Poesa




Ler mais | Comentários (0) | Visualizações (910)

Olhares (conto)
08Out2008 00:00:00

From: Leonardo de Magalhaens <leonardo_de_magalhaens@yahoo.com.br>
Date: 07/10/2008 18:33
Subject: Olhares (conto)

um conto de outrora...

 

OLHARES

 

  Estranho é andar pelas ruas, numa manhã isenta de sol, furando as ondas do tráfego, e sentir, queimando, os olhares acusadores dos passantes. Suas faces transformadas, tal em convulsões, de bílis vertida nas estranhas, e um rasgo de deboche nos lábios, um não-pode-você-fazer-que-vai-nos incomodar toda vez que insistimos em seguir junto as vitrines, e ao fim, nos desviamos, antes de derrubarmos, por terra e cimento,  a senhora com suas inevitáveis duas sacolas prenhes de mercadorias, e ela ainda insatisfeita.

 

    É assim: todos me acusam. Estou sujo, um traço de dentifrício marca em cicatriz o subúrbio de meus lábios, ou meu cabelo se enroscou serpentino ao vento de fuligens.

 

    É assim: de súbito, um olhar me enternece. Uma garota de meu interesse, que penso já ter visto antes, talvez num dos agitares do mercado, alguém enfim que percebo admirar.

 

    Aproximei-me, puxei assunto. Ela, meio assim desconfiada, mas ainda certa atenção. Percebo meus passos, enquanto sigo ao lado daquela de olhos tão abraçantes. Aí ela entra na igreja.

 

    Olhei o altar, ali uns poucos fiéis, e aquele cheiro de incenso me nauseava. Ela se encaminhou aos últimos bancos, deixando meia igreja de bancos vazios entre ela e os devotos. As devotas.

 

    O que fiz? Sentei-me o lado dela, meio deslocado. Levantei-me e, assim inclinando, cochichei ao seu ouvido: "Querida, você não quer que conversemos na igreja, quer?" ela se levantando, assim meio contrariada, mas sem outras hostilidades, olhando assim com aquela timidez, mas parecia querer se entregar - ali contida ainda por alguma desconfiança. Algum meditar a retinha.

 

    Penso, logo desisto. (Citação, meu velho.)

 

    Ela foi seguindo à  minha frente. De súbito, parou.

 

    É que ela, voltando-se para mim, verteu olhares perplexos. (enfrentei muitos olhares, mas aquele era.) Possuída pelo olhar, ela exclamou irada: "Bem que minha mãe me alertou!" Deu-me as costas, seguindo para a porta. Tentei sair no seu encalço, fui barrado por uma voz autoritária: - "Parado aí, amigo."

 

   Amigo? Dois policiais ali estão. Braços cruzados à altura do peito, na representação correta de autoridades, donas de meu ir-e-vir. Mas eis a porta e vou abri-la assim mesmo. O ar da igreja me sufoca. Abri mesmo. Alguém ainda diz, à milhas: -"Eles vieram é pra te prender."

 

    Como já disse, abro a porta. Na calçada os vultos, quase humanos, de mais dois policiais. Fardas furando na retina a profunda calma. É um suor o que me afoga a nuca, e singra meandros do pescoço? Blá, blá, blá. Na viatura, do outro lado da rua, mais dois. De repente parece que já esperava por tudo aquilo. Um batalhão para me prender!

 

   É uma manhã isenta de sol ( acho que já disse isso...) e digo,aborrecido: "Tão cedo!"

 

    Garras metálicas a beliscarem-me o retesar dos pulsos.

 

    Vejo, à distância, a moça se esvaindo nas brumas do asfalto quente.

 

 

 

   Fev2004

 

 

  Leonardo de Magalhaens

 

 




Ler mais | Comentários (0) | Visualizações (1133)

Para quem gosta de ler
04Out2008 00:00:00


From: Luciano Nunes <cartoonunes@yahoo.com.br>
Date: 2008/10/4
Subject: Para quem gosta de ler
To: Podrera <cartoonunes@yahoo.com.br>


Para os amantes da literatura estrangeira,

 

Estou dispondo de um livro Raro do autor Charles Bukowski por R$ 35,00. Quem souber de alguém que se interesse em adquiri-lo, peço a gentileza de comunicar por e-mail. Este mesmo título foi relançado pela L&pm editores no formato pocket com preço popular. O exemplar que estou disponibilizando é para colecionadores ou interessados.

 

DESCRIÇÃO

 

Título: Factotum
Autor: Charles Bukowski
Edição: 1ª edição
Ano: 1985
Páginas: 160
Editora: Brasiliense
Série: Circo de Letras, nº: 27
Classificação categórica: romance ? literatura estrangeira

Encadernação: brochura

Descrição sobre o estado físico do livro: semi-conservado; capa com escoriações mínimas, uma assinatura na folha de rosto datada pela antiga proprietária, miolo amarelado devido à ação do tempo, entre as páginas 09 à 35, na parte superior de cada folha, há pequenas manchas de oxidação do papel que não comprometem a leitura. Pela raridade da obra vale apena!

 

SINOPSE

 

Em Factótum, segundo romance de Charles Bukowski, publicado originalmente em 1975, encontramos mais uma vez Henry Chinaski, alter ego do autor, protagonista de vários dos seus livros e um dos mais célebres anti-heróis da literatura americana. Durante a 2ª Guerra Mundial, o loser Henry (que reaparece mais tarde no magnífico Misto-Quente), é considerado "inapto para o serviço militar" e não consegue entrar para o exército. Enquanto os homens alistados para a guerra são vistos como heróis, Chinaski, sem emprego, sem profissão nem perspectivas, cruza o país, arranjando bicos e trampos, fazendo de tudo um pouco (daí o nome do livro, do latim "Pau-pra-toda-obra"), na tentativa de subsistir com subempregos que não se interponham entre ele e seus dois grandes prazeres: escrever e beber.

 

OBS: anexei em formato JPG a capa do exemplar que estou dispondo.







Ler mais | Comentários (0) | Visualizações (1160)

Breve retrospectiva 2008
04Out2008 00:00:00




Na juntura dos ossos





Dentro do tempo veloz vamos tecendo e sendo tecidos


dentro de cada segundo que esvai


mundo afora afora fora for





Aqui, algumas partipações que fiz ao longo deste ano. Sem dúvida, um ano plural - Lecy Pereira.





Março-2008





Participação no livreto "Pontos Cardeais - Encontro Literário" editado pelo poeta contagense Vinícius Fernandes Cardoso. Também participaram Diovani Mendonça, Kennedy Cândido, Yendis Asor Said;




Abril - 2008


Um mês onde tudo aconteceu. O poeta Diovvani Mendonça lançou o "Pão e Poesia" pouco depois do falecimento de minha mãe. Abaixo, o poema Dilema do Eletropoema de Um Fôlego Só e minha participação no Projeto Stereoteca, na Biblioteca Pública de Belo Horizonte-MG (24/04/2008):



Maio de 2008
A convite de Diovvani Mendonça participei do Sarau no Parque Lagoa do Nado em BH sob a curadoria do poeta Ricardo Evangelista. Uma noite para não esquecer. A seguir, por atitude do "mago" Marco Llobus fui capa do Poetus, uma criação louvável do próprio Llobus:





Junho de 2008
Por intervenção de Diovvani Mendonça eu Fernando Januário fizemos uma participação relâmpago na 1º Bienal do Livro no Expominas. Lá encontramos Wilmar Silva, Rogério Salgado, Sebastião Nunes, Makely Ka entre outras personas:





Setembro/2008
Certamente um mês atípico. Participei do Projeto "Terças Poéticas", no Palácio das Artes - BH, com os poetas Leonardo de Magalhaens e Rodrigo Starling. Também lancei o livro de poemas "Primeirapessoaplural", o primeiro do selo "Árvore dos Poemas". E no dia 28 aconteceu o 1º Viva Poesia Poesia Viva em Contagem, mais uma peraltice do poeta Diovvani Mendonça. Oxalá!:
Vale conferir o blog literário do poeta Leonardo de Magalhaens :



Assim, sendo, não sendo, seguimos poemando, poemando...
----------------------------------------
Alguns blogs que vale a pena visitar:




Ler mais | Comentários (0) | Visualizações (1275)


1 a 5 de 98 Primeiro | Anterior | Seguinte | Último |